03
Mai 07


Aprendi recentemente que “prisão perpétua” não é igual a “prisão para sempre”…

Devo ser muito ingénua, eu sei, mas pensava que perpétua significava interminável, ou eterno. Mas não, querem ver?

 

Um tribunal de Estugarda decidiu ontem libertar a antiga terrorista alemã da Facção do Exército Vermelho (RAF) Brigitte Mohnhaupt, que cumpriu 24 anos da condenação a cinco penas de prisão perpétua pelo envolvimento em nove homicídios e vários raptos.”

 

Eu explico… Portanto, esta senhora, a Brigitte Mohnhaupt pertenceu a uma organização terrorista, e quanto tinha os seus 33 aninhos, foi condenada a 5 penas de prisão perpétua (algumas fontes dizem 9… mais eternidade menos eternidade…), devido aos homicídios e raptos que aconteceram quando a senhora se encontrava no comando das operações… Pronto… 5 ou 9 penas de prisão perpétua…

 

Mas dado que:

 

Na Alemanha, os sentenciados a penas de prisão perpétua só morrem na cadeia em casos extremos (se representarem alto risco para a sociedade). Geralmente, saem em liberdade condicional, após um longo período de prisão.

 

… não é preciso ter medo quando, por azar, se é condenado a pena de prisão perpétua… mais ano menos ano estamos livres…

 

Esta senhora também tinha a visita de um padre…

 

Mas para o padre Siegfried Fleiner, que durante anos visitou a ex-terrorista numa cadeia feminina da Baviera, Brigitte Mohnhaupt já não representa qualquer perigo para a sociedade, sendo uma pessoa "simpática".

 

Ah bom… se ela é simpática temos a certeza que não matará mais ninguém…











Que alivio...



Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO