14
Abr 08

 

Adoro esta música...

 

Hercules And Love Affair

 

Blind

 

As a child I knew
That the stars could only get brighter
And we would get closer
Get closer
Oooooh

 

As a child, I knew
That the stars could only get brighter
That we would get closer
Get closer
Leaving this darkness
Behind


Mmmm-mmmm
Oooooooh


Now that I'm older
The stars should lie upon my face
When I find myself alone
Find myself alone
Oooooh


Now that I'm older
The stars should lie upon my face
And when I find myself alone
I feel like I
I am blind


Feel it
Feel it
Feel it
Feel it

Like I am blind
I am blind


I wish the stars could shine now
For they are closer
They are near
But they will not present my present
They will not present my present


I wish the light could shine now
For it is closer
It is near
But it will not present my present
It makes my past and future painfully clear


To hear you now
To see you now
I can look outside myself
And I must examine my breath and look inside
Ooooooh


To see you now
To hear you now
I can look outside myself
And I must examine my breath and look inside
Because I feel blind
Because I feel blind


I feel it
I feel it
I feel it
Like I
Like I'm blind
Ooooooh
The movie will
Mmmm, and feel it
Oooooh, I feel it
Feel it

 

 

 



01
Abr 08


No dia 29 de Março fui ao concerto da Mafalda Veiga, em Montemor-o-Novo...
Eu que não sou uma grande conhecedora da vida e obra da Mafalda, senti-me bastante envolvida pelas músicas, e com vontade de saber cantá-las todas...
Aqui vai uma muito boa, que estou a ouvir repetidamente desde que vim de Montemor...

 

 

Mafalda Veiga

 

Restolho

 

Geme o restolho, triste e solitário
a embalar a noite escura e fria
e a perder-se no olhar da ventania
que canta ao tom do velho campanário

Geme o restolho, preso de saudade
esquecido, enlouquecido, dominado
escondido entre as sombras do montado
sem forças e sem cor e sem vontade

Geme o restolho, a transpirar de chuva
nos campos que a ceifeira mutilou
dormindo em velhos sonhos que sonhou
na alma a mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar para aprender a viver

e a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração

Geme o restolho, a transpirar de chuva
nos campos que a ceifeira mutilou
dormindo em velhos sonhos que sonhou
na alma a mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar para aprender a viver

e a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Bolota às 16:25

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO